Não quer arriscar? Confira 4 opções de investimentos conservadores



Muitos brasileiros aplicam o seu dinheiro na poupança e deixam de aproveitar outros tipos de investimento por medo ou falta de conhecimento. E a verdade é que a poupança está longe de ser a melhor alternativa.

Ainda que você seja investidor com perfil conservador, existem alternativas mais eficientes quando o assunto é rentabilidade. Então, se você é uma pessoa preocupada com o seu futuro e a saúde financeira da sua família, provavelmente está em busca delas para alavancar os seus retornos financeiros.

Quer saber quais opções são essas? Então, acompanhe a leitura deste artigo no qual mostrarei quais são os 4 melhores investimentos conservadores disponíveis no mercado!

O que são investimentos conservadores?

No mundo dos investimentos, existem diversas modalidades de aplicação, cada uma com as suas peculiaridades e especificidades. Entretanto, posso resumir todas elas em três grupos: conservadoras, moderadas e agressivas.

No que diz respeito aos investimentos conservadores, você já deve ter ouvido dizer que se enquadram nesse grupo as aplicações mais seguras. Mas, afinal de contas, o que é “ser segura”? Segurança é uma questão de ponto de vista, concorda? Por exemplo, existem pessoas que se sentem seguras investindo em ações, outras nem tanto.

Então, para caracterizar os investimentos conservadores, não basta falar sobre segurança. O que caracteriza realmente uma aplicação desse tipo é o risco que a envolve.

Os investimentos conservadores oferecem riscos mínimos a quem investe, diferentemente das aplicações dos outros dois grupos. Geralmente, se tratam de investimentos de renda fixa, com rentabilidades menores, mas com chances baixas de prejuízos.

Como a taxa básica de juros influencia nos investimentos de renda fixa?

No Brasil, a taxa básica de juros da economia é a tão falada Taxa Selic. É bem provável que você já tenha visto ou lido alguma notícia a respeito dela nos últimos tempos.

A Selic é de grande importância para toda a economia do país, pois é a forma com que o Banco Central controla a política monetária e a inflação. Entretanto, seu uso vai além do governamental, e a Selic também influencia bastante nos investimentos de renda fixa.

Isso porque a maioria desses ativos é indexada à taxa básica de juros. Em outras palavras, grande parte das aplicações de renda fixa utiliza, direta ou indiretamente, a Selic como índice de rentabilidade.

Portanto, quando a Taxa Selic está alta, como nos anos de 2015 e 2016, em que ficou em 14,25% ao ano, os investimentos de renda fixa ficam bem atrativos e incentivam a população a poupar.

Atualmente, a Selic está em 4,5% ao ano, seu menor nível histórico. Dessa forma, a rentabilidade da maior parte dos investimentos conservadores é afetada negativamente.

Quais são as melhores alternativas de investimentos conservadores?

Como dito no início deste artigo, existem diversos tipos de investimentos conservadores mais atrativos do que a caderneta de poupança. A seguir, você confere os principais.

1. CDBs

Os Certificados de Depósito Bancário (CDBs) são títulos emitidos pelos bancos com objetivo de capitalização. Ao comprar um CDB, você está “emprestando” seu dinheiro ao banco em troca de uma rentabilidade. São dois os tipos principais de CDBs existentes:

CDB prefixado

Você compra o título com taxa predefinida e sabe exatamente a quantia que receberá ao final do prazo determinado.

CDB pós-fixado

Nos CDB Pós-Fixados, a rentabilidade será determinada por uma taxa de referência, normalmente o CDI. O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é uma operação diária de empréstimo realizada entre os bancos, e seu objetivo é assegurar que nenhum banco feche o dia no “vermelho”.

Por lei, os bancos não podem fechar o dia com o caixa negativo. Então, aqueles bancos que estiverem com saldo positivo em caixa ao final do dia, emprestam àqueles que estão com saldo negativo e cobram uma taxa por isso. Isso é o CDI, e seu valor é bem próximo da Selic

Os CDBs pós-fixados rendem um percentual do CDI estabelecido pelos próprios bancos. Como esse percentual de rendimento varia conforme o banco, é importante pesquisar bem antes de adquirir um CDB pós-fixado. É importante atentar ao fato que os CDBs sofrem desconto do Imposto de Renda; contudo, quanto maior o prazo para o resgate, menor será a alíquota.

2. LCIs e LCAs

As LCIs e as LCAs são as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio, respectivamente. Trata-se de títulos emitidos por bancos com o objetivo de captar recursos destinados ao financiamento de empreendimentos nesses setores. Da mesma forma que o CDB pós-fixado, as LCIs remuneram um percentual estabelecido do CDI. No entanto, para você investir, é necessária uma quantia inicial mais elevada.

A principal vantagem das LCIs e LCAs está na isenção do Imposto de Renda. Por isso, essa aplicação pode ser bem vantajosa dependendo da quantia que você gostaria de investir. No entanto, é preciso pesquisar com atenção quais são os bancos que oferecem os melhores percentuais.

3. CRIs e CRAs

Os CRIs e CRAs são os certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio, respectivamente. Apesar da semelhança com as letras de crédito, eles funcionam de maneira distinta.

Nos certificados de recebíveis, quem investe está, em poucas palavras, adquirindo o direito de receber os pagamentos de financiamentos nesses dois setores.

Em momentos de queda na Taxa Selic, como agora, os certificados de recebíveis são ótimas alternativas para o investidor que busca por investimentos conservadores, mas não consegue encontrar remunerações satisfatórias.

4.Tesouro Nacional

Provavelmente você já ouviu falar sobre o Tesouro Direto. É um programa de criado pelo Governo Federal para ampliar o acesso à compra de títulos públicos federais por pessoas físicas.

No programa, há diversas opções de títulos disponíveis, com diferentes prazos e indexadores.

Um deles é o Tesouro Prefixado 2022 (LTN 2022). Títulos prefixados oferecem uma remuneração ao investidor que é fixada previamente. Ou seja, o investidor fica sabendo no momento da aplicação exatamente quanto receberá no vencimento.

A XP está sugerindo alocação nesse título como base na visão de que cortes maiores na taxa Selic ainda não estão precificados na curva.

Fundos imobiliários, opção de renda variável com baixa volatilidade

Além dessas aplicações de renda fixa que apresentamos, temos também os fundos imobiliários, uma opção que, apesar de considerada como renda variável, tende a ser menos volátil do que outras opções desse grupo de aplicações. Por esse motivo, muitos investidores conservadores estão aplicando uma parte de seu capital nesse tipo de ativo.

Se você se considera um investidor de perfil conservador, precisa encontrar aplicações que atendam às suas necessidades e expectativas. De nada adianta querer buscar investimentos arriscados, como a compra de ações na Bolsa de Valores, se você não deseja correr um risco mais elevado. Sendo assim, sempre que for fazer uma nova aplicação, busque as características comuns entre os investimentos conservadores, como baixo risco e pouca volatilidade.

E então, o que você achou do artigo? Conseguiu aprender tudo sobre quais são os melhores investimentos conservadores? Se sim, confira agora este post e descubra qual é o seu perfil de investidor!


Luana Dennis

Luana Dennis é analista de conteúdos da WeInvest. Como uma grande entusiasta das transformações que a educação financeira e o investimento inteligente e estratégico podem trazer na vida das pessoas ela visa sempre acompanhar de perto o mercado financeiro para produzir conteúdos de alto padrão.


Posts populares: