, Fundo Imobiliário ou Renda Fixa, o que escolher? | WeInvest ,

Fundo Imobiliário ou Renda Fixa, o que escolher?

Fundo imobiliário ou renda fixa

Quando o assunto é investimento o nível de aversão ao risco dos brasileiros é algo surpreendente. Enquanto na Colômbia, que também é um país em desenvolvimento, o número de investidores que aplicam em renda variável é de cerca de 3 milhões, no Brasil, um país com uma população quatro vezes maior, esse número é inferior a 1 milhão. Muitos brasileiros sequer conhecem as classes de investimentos em renda variável existentes no mercado. Tudo que eles conhecem são os tradicionais títulos de renda fixa que os bancos oferecem. E não te julgo por isso, afinal, foi isso que nos ensinaram a vida inteira.

Hoje te mostrarei que existem outras opções de investimentos além das de renda fixa e da famigerada bolsa de valores. Falaremos um pouco sobre fundos imobiliários, te mostrarei as vantagens e desvantagens desse investimento frente aos mais tradicionais do mercado. Ao final você será capaz de decidir qual mais combina com seu perfil e objetivos.

e-book tipos de investimento

RENDA FIXA AINDA É UM BOM INVESTIMENTO?

Atualmente, no Brasil, apenas 7% dos investidores investem em renda variável. Como mostrado no gráfico abaixo, a porcentagem de pessoas que investem em títulos de renda fixa ou simplesmente deixa seu dinheiro na poupança é enorme.

 

Parcela alocada em cada tipo de ativo

Há alguns anos, investir nesse tipo de ativo (renda fixa) proporcionava um ótimo retorno, além de ser seguro, um fator que o brasileiro preza tanto. Como vemos no gráfico abaixo, a taxa Selic (taxa básica de juros da economia), está no patamar mais baixo já visto no Brasil. Isso faz com que a rentabilidade dos títulos de renda fixa também seja menor.   Taxa Selic de 1997 até 2012 A poupança, por exemplo, possui sua remuneração tendo como base esta taxa (SELIC). Enquanto em 2003 ela rendia quase 1% ao mês, hoje rende apenas 0,315%. Para entender melhor como funciona a remuneração da poupança clique aqui.  Os demais títulos de renda fixa também são influenciados pela taxa de juros e por isso, atualmente não estão apresentando rendimentos tão consideráveis.

Um CDB de um grande banco com vencimento em 5 anos, por exemplo, possui uma rentabilidade de 82% do CDI, o que corresponde a menos de 4% ao ano ou cerca de 0,3% ao mês, e esses valores são brutos de IR, ou seja, para saber a rentabilidade real é necessário descontar esse imposto. Com esse cenário apresentado, o ideal para um investidor é desbravar novos mercados e tentar maximizar seu retorno saindo da zona de conforto, mas de forma consciente. Sendo assim, os fundos imobiliários surgem como uma ótima alternativa.

ENTENDA DE UMA VEZ POR TODAS O QUE SÃO OS FIIs

Os fundos de investimento imobiliário (FII) representam um conjunto de investidores, que juntam seu dinheiro em busca de uma finalidade comum. Os recursos destinam-se ao desenvolvimento de empreendimentos imobiliários, tais como construção de imóveis, aquisição de propriedades prontas, locação ou arrendamento. Os fundos podem investir em diversas classes de imóveis como estabelecimentos comerciais, shopping centers hospitais entre outros.

Por lei eles devem distribuir aos seus cotistas, no mínimo, 95% do lucro auferido. De maneira que o investidor receberá esse lucro de forma proporcional a quantidade de cotas que possui. Para saber mais sobre o que são e como funcionam os fundos imobiliários clique aqui.

CONHEÇA AS PRINCIPAIS VANTAGENS DOS FIIS

Os fundos imobiliários possuem uma série de pontos positivos frente aos investimentos tradicionais de renda fixa. Benefícios dos fundos imobiliários

Baixa aplicação mínima

Nos fundos imobiliários, as aplicações mínimas giram em torno de R$100,00. Esse é um valor bem mais baixo que o de um apartamento ou qualquer outro imóvel.

Acessibilidade e simplicidade

Por meio dos fundos é possível investir em diversos tipos de imóveis como shoppings, hospitais, hotéis, entre outros.  Dificilmente um investidor comum seria capaz de realizar esses investimentos fora de um fundo imobiliário.

Diversificação

Embora a maior parte dos fundos seja dedicada para um tipo de ativo imobiliário específico, alguns possuem uma carteira diversificada. Com a mistura de imóveis num mesmo portfólio, o risco diminui.

Custos baixos

O investidor deve se preocupar apenas com as taxas de administração do fundo, que são mais baratas do que os valores envolvidos nas negociações diretas com imóveis que envolvem gastos com escritura, ITBI, taxa de corretagem, entre outros.

Liquidez

As cotas são negociadas em Bolsa, reduzindo o risco de não conseguir vender o ativo. O valor é transferido para a conta do investidor 3 dias após a venda, sem complicações burocráticas.

Rendimentos líquidos de IR

Pela lei que regulamenta os FIIs, 95% dos rendimentos e ganhos líquidos do investimento, ou seja, os aluguéis, devem ser distribuídos e esses rendimentos mensais estão livres do pagamento de imposto de renda para investidores pessoas físicas.

O MOMENTO IDEAL

A queda da taxa Selic prejudicou muitos os investimentos em renda fixa, porém esse movimento beneficia os fundos imobiliários. Com um juros real (rendimento do investimento em um período menos a inflação mensurada naquele mesmo espaço de tempo) inferior a 3%, os FIIs ficam mais atrativos. Isso ocorre porque em um cenário de redução da taxa de juros, a tendência é que todas as outras taxas do mercado também sejam reduzidas, resultando em uma situação de crédito mais barato, ou seja, mais acessível, às empresas e às famílias brasileiras.

Por consequência, existe uma tendência de que haja um incentivo ao consumo. Com o aumento do consumo, a demanda por bens e serviços aumenta, estimulando as empresas a investirem. Com o mercado consumidor se expandindo e as empresas crescendo, o segmento imobiliário se beneficia. A vacância (parcela não alugada de um imóvel) cai e os preços dos alugueis dos imóveis sobem, o que contribui positivamente para os fundos imobiliários.

EXPANSÃO DO MERCADO

Não só a quantidade de FIIs no Brasil cresceu consideravelmente nos últimos anos, conforme ilustra o gráfico abaixo, como o setor imobiliário se valorizou como um todo.

Evolução na quantidade de Fundos Imobiliários de 2007 a 2017

Gráfico exibe a evolução na quantidade de FIIs de 2007 a 2017

A renda média de hotéis em São Paulo, por exemplo, foi 25% maior em 2018 em comparação com 2017. E a tendência é de que o setor hoteleiro continue em expansão em 2019. Recuperação mercado imobiliário

Entretanto, antes de investir em um FII você deve saber se esse investimento está alinhado com seu perfil e objetivos. Caso você seja completamente avesso aos riscos, o melhor será manter a maior parte dos seus investimentos em ativos mais seguros, mas sempre buscando alternativas, como a realização de gestão ativa, para maximizar o retorno. Para saber seu perfil de investidor, clique aqui.

Além disso, é importante que você analise alguns pontos antes de investir num fundo imobiliário, de forma a escolher aquele que mais combine com você. Para saber o que deve ser levado em consideração antes de escolher um fundo mobiliário para investir, clique aqui.

ESCOLHA INVESTIMENTOS ALINHADOS AO SEU PERFIL

Para que você saiba qual a parcela de seus investimentos deve alocar em renda fixa e qual deve alocar em renda variável de forma que permaneça alinhado a seu perfil, sem se expor demais e sem perder oportunidades de potencializar seus investimentos, nós da WeInvest podemos te ajudar. Oferecemos-lhe assessoria gratuita e te deixaremos por dentro das melhores oportunidades do mercado.

Não perca tempo, deixe seus dados conosco e te ajudaremos a montar uma carteira personalizada e que se encaixe exatamente em seu perfil e esteja de acordo com seus objetivos.

 

Aproveite para ver outros textos do nosso site

  Melhores investimentos para 2020

  Como apurar o imposto de renda dos fundos imobiliários

  Fundos imobiliários ou imóveis, qual é melhor?

  Rating de classificação do bancos brasileiros

  Como comparar um CDB com LCI E LCA?

 

 

 

Sumário
FUNDO IMOBILIÁRIO OU RENDA FIXA, O QUE ESCOLHER?
Nome do artigo
FUNDO IMOBILIÁRIO OU RENDA FIXA, O QUE ESCOLHER?
Descrição
Você sabe o que são fundos imobiliários? Aprenda isso aqui e saiba suas vantagens e desvantagens frente as opções de investimento mais tradicionais do mercado.
Autor
Nome do publicador
FUNDO IMOBILIÁRIO OU RENDA FIXA, O QUE ESCOLHER?
Logo do publicador


Luana Dennis

Luana Dennis é analista de conteúdos da WeInvest. Como uma grande entusiasta das transformações que a educação financeira e o investimento inteligente e estratégico podem trazer na vida das pessoas ela visa sempre acompanhar de perto o mercado financeiro para produzir conteúdos de alto padrão.


E ai, o que achou? Deixe o seu comentário!

  1. Douglas Rannie 12 de maio de 2020 as 10:47

    Muito bom bem simplificado e fácil de entender.

    Fundo Imobiliário ou Renda Fixa? uma das coisas que só uma pessoal que entende bem do assunto poderia responder.

    Responder
    • WeInvest 12 de maio de 2020 as 15:31

      Obrigado Douglas!!
      Ficamos felizes que gostou!

Posts populares: