fbpx Tudo sobre o imposto come-cotas - WeInvest

Tudo sobre o imposto come-cotas



Muitas pessoas buscam diversificar seus investimentos aplicando recursos em fundos ao invés de realizar aportes individuais em diferentes produtos ou ativos. Dentro desse mercado de fundos de investimentos, no entanto existe um assunto que costuma gerar muitas dúvidas nos investidores: o imposto come-cotas. 

Este imposto incide sobre diversos fundos e é o responsável por muitas pessoas apresentarem certa hesitação com esse tipo de investimento. Para evitar surpresas em relação à tributação dos fundos, te ensinarei nesse texto tudo o que você precisa saber sobre o come-cotas.

O QUE É COME-COTAS

Come-cotas é o nome dado a um evento bem desagradável que afeta as pessoas que investem em fundos de investimentos. Trata-se do recolhimento antecipado do Imposto de Renda feito todo semestre pela Receita Federal. 

Esse imposto deduz cotas dos investidores, em alíquotas que podem ser de 15% ou 20%. Para entender exatamente como funciona esse imposto, continue comigo. 

COMO FUNCIONA O COME-COTAS

O funcionamento do come-cotas é simples e não depende da interferência do investidor. Automaticamente, a cada seis meses, sendo uma vez no dia 31 de maio e outra dia 30 de novembro, ocorre uma redução no número de cotas que equivale ao percentual do Imposto de Renda cobrado sobre os rendimentos.

Essa redução é apresentada no extrato como um resgate. Isso acaba confundindo muitos investidores, que realizam aportes em fundos sem, necessariamente, entender como eles funcionam.

É importante ressaltar que o come-cotas incide apenas sobre o rendimento do período e não sobre o total investido no fundo. Logo, se você aplicar, por exemplo, R$ 5.000,00 e ao final de 6 meses tiver obtido um retorno de 5%, totalizando R$ 5.250,00, o come cotas incidirá sobre os R$ 250,00 (5.250 – 5.000). 

Entender bem o funcionamento desse imposto poderá ajudá-lo na sua decisão de onde alocar seu dinheiro e a calcular qual será a real valorização em um determinado período, já descontando todos os custos.

ALÍQUOTA DO COME-COTAS

O come-cotas pega a menor alíquota de Imposto de Renda de cada tipo de fundo. Para os fundos de curto prazo, a cobrança semestral é de 20% em relação aos rendimentos, e para os de longo prazo, 15%.

No final, na hora do resgate há o cálculo de compensação para a diferença de alíquotas de acordo com o tempo de investimento.

EXEMPLO PRÁTICO

Ainda não está 100% seguro de como o come-cotas influencia o seu fundo? Então vamos a um exemplo.

Suponhamos que você aplique R$ 10.000,00 em um fundo de investimentos multimercado de longo prazo no dia 8 de fevereiro e receba pela aplicação 5.000 cotas (ou seja, cada cota vale R$ 2,00). 

Suponhamos que no próximo come-cotas, no dia 31 de maio, cada cota do seu fundo esteja cotada a R$ 2,50. Logo, você terá R$ 12.500,00. 

O come-cotas “abocanhará” R$ 375,00 que corresponde a 15% da valorização de R$ 2.500,00. 

Assim, você não terá mais 5.000 cotas e sim 4.850 (os R$ 375,00 do come-cotas correspondem a 150 cotas – 375/2,50 = 150). 

O nome “come-cotas” faz bem mais sentido agora, não?

COMO O COME-COTAS PODE INTERFERIR EM SEUS RENDIMENTOS?

A grande desvantagem do come-cotas é o seu efeito sobre os juros compostos. Com isso quero dizer que se não houvesse esse imposto, aquele valor poderia ficar valorizando durante anos. 

Pensando no mesmo exemplo anterior, o valor inicial rendeu 25%. Se não houvesse o come cotas e ao final do ano a valorização se repetisse, o investidor teria R$ 15.625,00, no entanto, como ele teve que pagar R$ 375 de come cotas, terá somente R$ 15.156,25 ((12.500-375)*1,25), uma diferença de R$ 468,75! 

É por esse motivo que é muito importante considerar o come-cotas antes de investir em fundos. O investidor não deve ser atraído apenas pelo rendimento bruto dessa aplicação, uma vez que ela possui seus custos.

Para conhecer quais são esses custos é imprescindível ler o regulamento do fundo em que pretende investir, pois ele traz todas essas informações em detalhes.

Alguns fundos não têm incidência de come-cotas. Dentre eles destaco os fundos de previdência e os de ações. 

INVESTIMENTO COM OU SEM COME-COTAS?

Esta é uma dúvida comum entre os investidores, mas não há uma resposta única. 

Como foi dito, a principal desvantagem do come-cotas é abocanhar parte do rendimento do investimento a cada semestre. Porém, muitas vezes, mesmo pagando esse imposto o retorno líquido de fundos que têm incidência do come-cotas ainda supera o de aplicações que não tem. 

Sendo assim, apenas o investidor pode identificar se vale a pena investir em um fundo com come-cotas ou priorizar outros investimentos que não tenham incidência deste imposto. É importante analisar a rentabilidade de todos os investimentos, levando em consideração os custos envolvidos e os próprios objetivos pessoais. 

É importante que você não tome como verdade a afirmação de que sempre um investimento sem come-cotas será melhor que um investimento com come-cotas, pois essa premissa é falsa!

Caso tenha alguma dúvida sobre os fundos de investimentos que você possui em sua carteira ou que deseja adquirir, entre em contato conosco.


Clara Sodré

Graduanda em Relações Internacionais com especialização em mercados financeiros, copywriting e comércio exterior. Pesquisadora voluntária em cooperação internacional europeia. Monitora no núcleo de Economia Política Internacional. Apaixonada por educação financeira e produção de conteúdo.


Posts populares: