fbpx Seguro de vida: quais as vantagens e desvantagens?

Seguro de vida: quais as vantagens e desvantagens?



A sucessão patrimonial com certeza é um assunto importante para todos aqueles que desejam que seus herdeiros tenham estabilidade e liberdade financeira. Existem diversos produtos: fundos, testamento, seguro de vida. No entanto, como sabemos, são diversas as formas de se passar o patrimônio para seus herdeiros, cada uma para diferentes tamanhos de patrimônio, estruturas familiares e momentos da vida do sucessor e do beneficiário. 

Pensando nisso, a WeInvest fez uma série de publicações sobre planejamento sucessório e nesse post, você terá um guia completo sobre seguro de vida.

O que é seguro de vida?

Seguro de vida é um contrato celebrado frente a uma seguradora (como um seguro qualquer), que garante que sua família tenha uma segurança financeira no caso de uma morte inesperada. 

Em média, um seguro de vida tem um custo anual de R$2.000,00, podendo variar em função da faixa etária, sexo, profissão, etc.

Quais as vantagens de se fazer um seguro de vida pensando em Planejamento Sucessório?

O head de Wealth Management da XP, Renato Folini, diz que o seguro de vida é um planejamento sucessório interessante se você está num momento de vida de acumulação de capital e ainda não atingiu o patrimônio desejado.

Portanto, é para pessoas que não têm um volume patrimonial grande e desejam que sua família tenha proteção financeira. 

Além disso, o seguro de vida tem a vantagem de não entrar em inventário, tendo, portanto, maior liquidez do que aquela parte do patrimônio que precisa passar por todo um devido processo legal para ser movimentado.

O ITCMD, Imposto de Transição Causa Mortis e Doação, é um dos custos com os quais a família tem que arcar durante o processo de sucessão patrimonial. 

Por isso, o seguro de vida pode ser um bom auxílio para pagar os tributos, tendo em vista que podem representar até 8% do patrimônio total, a depender do estado. 

Quais as desvantagens?

Quando você já tem determinado patrimônio, a partir de US$1 milhão, outros meios de planejamento sucessório são mais indicados. Isso porque geram, no longo prazo, custos mais baixos e têm uma maior otimização tributária. É o caso do fundo de investimentos exclusivo e da trust offshore.

No caso de uma família que tenha um patrimônio empresarial extenso, também é mais interessante considerar outros meios de sucessão.

Além das vantagens e desvantagens, é importante que você consulte um especialista para alocar seu patrimônio da sua família da melhor forma possível, uma vez que diferentes meios de sucessão são mais ou menos adequados para diferentes tipos de patrimônio (imóveis, obras de arte, capital, fundos, entre outros). 

 

Gostou? Para mais conteúdos como este, não esqueça de assinar nossa newsletter e receber tudo em primeira mão na sua caixa de entrada. 

Fique ligado no site da WeInvest para acompanhar as próximas publicações sobre planejamento sucessório!


Clara Sodré

Graduanda em Relações Internacionais com especialização em mercados financeiros, copywriting e comércio exterior. Pesquisadora voluntária em cooperação internacional europeia. Monitora no núcleo de Economia Política Internacional. Apaixonada por educação financeira e produção de conteúdo.


Posts populares: