Como investir o FGTS?



Se você acompanha o noticiário financeiro diariamente, provavelmente notou que o Governo Federal liberou o saque das contas do FGTS, não é mesmo? O objetivo dessa medida é aquecer a economia e aliviar o bolso de milhares de brasileiros que estão apertados por conta da longa crise que assola nosso país.

Essa é uma ótima notícia, desde que você saiba o que fazer com esse dinheiro. Por isso, elaboramos este artigo para que você entenda de uma vez por todas como investir o FGTS. Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe a leitura!

Por que o Governo decidiu liberar o FGTS?

Em 2017, o então presidente do Brasil, Michel Temer, liberou o saque das contas inativas do FGTS. Naquela data, o trabalhador poderia sacar o valor integral do seu saldo inativo. Estima-se que essa medida tenha injetado R$ 44 bilhões de reais na economia.

Já em 2019, o Ministério da Economia, além das contas inativas, divulgou também a liberação do saque do FGTS de contas ativas. Entretanto, o Governo impôs um limite de até R$ 500,00 para essas contas. Ao tomar a decisão de liberar o saque do FGTS, o Governo tem apenas um propósito: aquecer a economia.

Com esse dinheiro extra, as pessoas podem consumir mais, quitar suas dívidas, investir etc. Seja qual for o destino final do dinheiro, o que ocorre é uma injeção repentina de bilhões de reais no mercado, que ajuda a movimentar a complexa engrenagem econômica e gerar um impacto positivo no PIB.

Como investir o FGTS?

Se você optou por realizar o saque do seu FGTS, com certeza está pensando sobre qual será o destino desse dinheiro extra, não é verdade? Pois bem, sabemos que a tentação de gastá-lo é grande, mas, sem sombra de dúvidas, essa não é a decisão mais inteligente para o seu dinheiro.

Aplicá-lo na poupança também não é uma boa escolha. Abaixo, vamos listar algumas das maneiras mais indicadas para quem está em dúvida sobre como aplicar o dinheiro do FGTS. Confira!

CDBs

Os Certificados de Depósito Bancário, mais conhecidos como CDBs, são títulos comercializados pelos bancos com o intuito de se capitalizarem. Em curtas palavras, ao comprar um CDB, você está emprestando suas economias a esses bancos em troca de um retorno financeiro.

Atualmente, existem algumas modalidades de CDBs disponíveis, como os prefixados e pós-fixados, e cada um deles rende um determinado percentual do CDI, que tem valor bem próximo à Taxa Selic.

Os CDBs de liquidez diária são extremamente similares à poupança, pois podem ser resgatados a qualquer momento, assim como acontece com a caderneta. Grande parte dos bancos que oferecem esse tipo de investimento de resgate diário o disponibilizam com um retorno de 100% do CDI.

Ou seja, é um retorno percentual bem maior do que a poupança, em uma aplicação que funciona de forma bastante similar.

Apesar disso, você não está restrito a investir somente em títulos com liquidez. Caso você queira, pode optar por CDBs com vencimentos mais longos, talvez em alguns meses ou anos, e que oferecem um retorno percentual significativamente maior.

No entanto, fique atento ao percentual de rentabilidade oferecido por esse título, alguns CDBs de grandes bancos possuem retorno de menos de 100% do CDI. Além disso, lembre-se que ele não é isento de Imposto de Renda, logo, se você investe em um CDB que lhe promete 100% do CDI e no final você tem que pagar 15% de IR, é como se na verdade esse título estivesse remunerando 85% do CDI.

Títulos do Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto são oferecidos pelo Governo Federal e funcionam de forma similar aos títulos de bancos privados. O Governo emite os títulos e utiliza o dinheiro arrecadado para financiar suas próprias atividades, como projetos nas áreas de saúde, infraestrutura, educação e outras.

Existem diversas modalidades de títulos, com os mais variados prazos de vencimento. Então, se você pretende saber como investir o FGTS, aplicar o seu dinheiro no Tesouro Direto pode ser uma ótima alternativa.

Apesar da Selic estar baixa e consequentemente os retornos dos títulos do Tesouro também, há formas de potencializar os rendimentos investindo nesse ativo realizando gestão ativa de renda fixa. Para entender o que é isso, clique aqui.

Quitar dívidas

Antes de começar a adquirir o hábito de investir — algo que é raro na sociedade brasileira atual —, é preciso que você aprenda a lidar com o seu dinheiro. Um dos grandes problemas da população brasileira é o endividamento.

Sabemos que a educação financeira nunca foi um ponto forte dos brasileiros. Mas, com o avançar da crise que assolou o país nos últimos anos, vimos que o número de endividados cresceu de forma exponencial — e isso é algo preocupante.

Sendo assim, de nada adianta você se organizar para investir o FGTS caso ainda tenha alguma dívida em seu nome. É preciso, primeiramente, quitar todos os seus débitos para que você consiga poupar para o futuro da maneira correta.

Como evitar erros com o dinheiro do FGTS?

Pior do que gastar o dinheiro resgatado é investir a quantia na poupança. No cenário econômico atual, com a Selic — taxa básica de juros da economia brasileira — em 6%, o rendimento da poupança é ínfimo: 70% da Selic + TR (Taxa Referencial, que hoje está em 0%).

Então, na prática, a poupança rende 4,2% ao ano (equivalente a 70% da Selic). Se considerarmos a inflação, o retorno real, ou seja, o quanto o seu dinheiro realmente ganhou em poder de compra, é praticamente nulo.

Além disso, recentemente o FGTS passou por mudanças propostas pelo Governo e, com isso, o Fundo passou a ter um rendimento razoável, principalmente se comparado a outros investimentos de renda fixa.

Agora, os lucros do FGTS são distribuídos em sua totalidade aos trabalhadores. Dessa forma, a pior decisão a ser tomada é retirar o dinheiro do Fundo e aplicá-lo na poupança. Fazendo isso, você estará, literalmente, deixando de ganhar dinheiro.

Gastar esse dinheiro também não é uma decisão sábia. A bem da verdade é que ninguém estava esperando essa liberação, então, sua vida seguiria normalmente caso o Governo não anunciasse essa medida.

Dessa forma, esse capital extra que surgiu no seu planejamento financeiro não deveria ser gasto de forma indiscriminada, e sim utilizado de forma inteligente. Ao evitar esses erros, você poderá encontrar a melhor destinação a esse dinheiro e descobrir como investir o FGTS.

E então, gostou do nosso artigo e conseguiu se decidir sobre as melhores alternativas de investir o FGTS? Então, não perca tempo. Compartilhe este artigo nas suas redes sociais e ajude seus amigos a utilizarem de maneira consciente o dinheiro do FGTS!


Luana Dennis

Luana Dennis é analista de conteúdos da WeInvest. Como uma grande entusiasta das transformações que a educação financeira e o investimento inteligente e estratégico podem trazer na vida das pessoas ela visa sempre acompanhar de perto o mercado financeiro para produzir conteúdos de alto padrão.


Posts populares: